HISTÓRIA DA FUNDAÇÃO

por Programa Interlegis — última modificação 29/10/2014 11h31
POR JULIETA COSTA GOMES.

O fundador da cidade de Santa Maria do Salto, foi o Senhor José Joaquim Cabral, mais conhecido por JOSÉ TROPEIRO, por ser dono de “tropa”, isto é, um conjunto de animais que, pelo qual, transportava para outras localidades seus produtos provenientes de sua lavoura.

Naquele tempo, era o único meio de transporte. Era lavrador, homem bom, honesto, prestativo, caridoso, católico, estimado por todos que o conheciam.

Residia anteriormente em ITUASSÚ, cidade do Estado da Bahia.

Em busca de melhores dias, resolveu vir a Minas Gerais afim de conseguir terras onde pudesse se instalar com sua família.

Felizmente, conseguiu. Era mata bruta, devoluta. Com coragem, esforço e ajudado por seus filhos maiores, MANOEL JOAQUIM, ELÓI E SEVERIANO, devastaram uma parte e construíram um RANCHO onde  “ele” com toda sua família passaram a residir, vivendo muitos anos em paz e alargando sua propriedade, fazendo lavoura, criação de gado bovino, suíno, caprino, aves, etc.

Trabalhador incansável.

Tempos depois, chegaram outros senhores com suas famílias e demarcaram terras sem dificuldade alguma e, assim, sucessivamente.

Alguns eram confinantes do SR. JOSÉ TROPEIRO.

Certa época, um dos confinantes quis comprar a propriedade do referido SENHOR, afim de alargar seus domínios mas, não conseguiu.

A partir daí, surgiram “certas rixas”da parte do citado confinante mas nada houve de grave.

A família TROPEIRO continuou vivendo em paz. A fazenda floresceu e progrediu. Aparecendo sempre compradores.

Em meados do ano de 1936, O SENHOR JOSÉ TROPEIRO e sua mulher D. MARIA DOS SANTOS SILVA, entraram em entendimento e resolveram doar uma parte de sua fazenda ao Estado afim de ser criado um Povoado e se livrassem das perturbações.

Todos os seus filhos concordaram e a noticia correu logo.

( FOI ESTA A CAUSA DA CRIAÇÃO DO POVOADO )

Foram-me relatados esses acontecimentos pelo próprio SR. JOSÉ TROPEIRO e sua mulher D. MARIA DOS SANTOS SILVA.

Foram chegando forasteiros afim de adquirirem lotes e construírem suas residências e casas comerciais.

No ano seguinte, isto é, em 1937, o Povoado já contava com um certo número de residências.

TIPO- A maior parte era feita de TAIPA, poucas de adobe. Umas cobertas com telhas de barro, outras de palha, cavacos, etc.

Havia RANCHOS e, assim, o novo Povoado desenvolveu-se rapidamente em virtude de Ter afluído ao local grande número de pessoas de recursos que contribuíram bastante para o engrandecimento.

Negociantes de todas as partes surgiam, bem como farmacêutico, pedreiros, carpinteiros, marceneiros, padeiros, ferreiros, açougueiros, etc.

O novo POVOADO floresceu rapidamente.

 

PRIMEIROS HABITANTES

Os primeiros habitantes foram:

O fundador e  sua família é claro.

Em seguida muitos senhores todos com suas famílias.

Sr. Clemente Rodrigues, Sr. José Rodrigues de Carvalho, Sr. Gesuíno Gil de Souza, Sr. Euclides Ferraz de Brito, Sr. Hermano de Souza, Sr. Antônio Rocha, Sr. José Oliveira ( Farmacêutico ). Sr. Abidias Ruas, Sr. Carmino de Souza, Manoel de Emidio, Sr. Chico de Emidio, Sr. Campos, Sr. Gesuíno Quirino ( Téu ), a Família Costa Gomes, Sr. José Feio, Sr. Sátiro Gonçalves de Souza, Sr. Feliciano Moreira, e muitos outros dignos de nota. Sr. Balu, Sr. José Gavião, etc.

NOTA: ( Não me foi possível mencionar a todos )

Em 1938 o Sr. WALTER ALVES DOS SANTOS com sua família chegaram ao Povoado.

Residiam anteriormente na cidade de RUBIM, MINAS GERAIS.

Aqui fixaram residência. Negociante fundou a INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS, denominada BAKANA. Única indústria local.

Iniciou-se o progresso no POVOADO. Deu emprego a muita gente.

O SR. WALTER ALVES DOS SANTOS, prestou relevantes serviços em beneficio do Progresso e desenvolvimento do referido POVOADO.

Homem de elevado tino administrativo.

Honesto, caridoso, católico. Todo fim de ano ele fazia o “NATAL DOS POBRES”,  distribuindo roupas, calçados, alimentos e brinquedos para as crianças.

Era em frente à sua loja, na PRAÇA DA MATRIZ, hoje, PRAÇA AURELINA MOTA SANTOS, sua primeira esposa.

Fundou FILIAIS DA INDÚSTRIA em várias cidades do ESTADO DE MINAS GERAIS afim de empregar muitas e muitas pessoas. Beneficiou bastante a localidade.

Foram vários benefícios dignos de nota.

Com sua retirada para ALMENARA, tudo acabou.

O POVOADO perdeu seu grande benfeitor.

Hoje, a citada indústria, pertence ao Sr. EDMILSON RENON com a denominação de: TRANSLEITE SANTA HEDWIGES LTDA. INDÚSTRIA E COM. DE LATICÍNIOS. SITIO SOLAR DAS PEDRAS.

O SR. JOSÉ DE OLIVEIRA, conhecido por SR. ZEZINHO, farmacêutico prático, competente prestou muitos benefícios à população. Residiu aqui com sua família por muitos anos ( FALECIDO ).

Devido seu desenvolvimento, o Povoado passou a pertencer ao Município de Vigia, Hoje Almenara, recebendo denominação de SANTA MARIA em homenagem à esposa do Fundador.

 

LOCALIZAÇÃO

A Cidade de SANTA MARIA DO SALTO, está localizada entre uma cadeia de montanhas, tem o formato de uma bacia.

Está 18 Km da margem direita do RIO JEQUITINHONHA.

É um lugar aprazível. Muitos visitantes denominaram-na CIDADE SIMPATIA.

A Cidade está situada em uma altitude de 170o ,16o 2,0’00” de latitude Sul e a 40o , 07’e 51” de longitude Oeste.

Fica à margem direita do Córrego que a banha, denominado CÓRREGO DE AREIA. Afluente do CÓRREGO ENXADÃO.

 

ÁREA

A Área do Município é de 553 Km2.

 

LIMITES

Ao Norte – Salto da Divisa

Ao Sul – Santo Antônio do Jacinto

Ao Leste – Salto da Divisa

A Oeste – Jacinto

 

POPULAÇÃO

A população até o ano de 1960 era de 4.778 habitantes de acordo com o censo.